Angiologia / Vascular

Tratamento sem cortes para o aneurisma cerebral

Técnica avançada sem incisões permite uma recuperação mais rápida e segura

Nas últimas décadas, a grande revolução da medicina moderna tem sido o avanço tecnológico, que permite cirurgias cada vez menos invasivas. Com isso, a evolução dos materiais médicos tem permitido o tratamento de problemas extremamente graves e complexos com o mínimo de invasividade. A prova disso é o tratamento da doença vascular de maior mortalidade: o aneurisma da aorta. “O aneurisma é uma dilatação que acomete o vaso sanguíneo e faz com que o mesmo apresente um risco de ruptura maior. O aneurisma que acomete a aorta (maior artéria do nosso corpo) leva o indivíduo à morte, na grande maioria das vezes, se a ruptura do aneurisma ocorrer antes do devido tratamento”, adverte o cirurgião vascular Dr. Marcio Miyamotto.

Como o aneurisma é assintomático e silencioso, muitas vezes a pessoa só descobre o problema quando ele rompe, ou quando faz algum exame para a pesquisa de outros problemas próximos ao local da aorta. Por essa razão, é imprescindível a realização do check-up vascular regularmente (o que não pode ser confundido com um check-up cardiológico) com um cirurgião vascular habilitado.

Foi o que ocorreu com o advogado Nelson José Zonato, 60 anos, que descobriu um aneurisma de aorta no abdômen ao fazer um check-up de rotina. “Poderia ter morrido sem saber porque, pois nunca senti nada. Depois de fazer uma tomografia de abdômen, descobri o aneurisma e fui direto para a cirurgia”, comenta o paciente, que tem vida saudável, faz academia e joga futebol. “A cirurgia foi supertranquila e em um mês já estava praticando atividade física normalmente!”, comemora Zonato.

Técnica mais recente

Muitos anos atrás, o tratamento desses aneurismas era realizado através de cirurgias complexas e muito agressivas, nas quais o paciente corria o risco de várias complicações, além da necessidade de um internamento hospitalar prolongado e permanência em UTI por vários dias. A primeira grande evolução nesse tipo de tratamento se deu no início dos anos 1990, quando foram desenvolvidas técnicas e materiais que permitiram o tratamento do aneurisma de aorta sem grandes incisões, graças ao desenvolvimento de endopróteses, que são colocadas via acesso remoto por artérias que se localizam na região das virilhas.

“A novidade mais recente é que nem essa incisão na virilha é mais necessária. A tecnologia se desenvolveu a um ponto em que há a possibilidade de colocação dessas endopróteses de aorta apenas por punção, como se fosse um cateterismo”, evidencia o especialista. Ou seja, o tratamento do aneurisma de aorta, que antigamente era acompanhado de uma incisão de mais de 30 centímetros, hoje pode ser realizado sem incisões, apenas através de uma punção na região da virilha.

Benefícios ao paciente

As vantagens dessa técnica é o retorno precoce às atividades diárias, sem a necessidade de repouso prolongado, e a quase inexistência de vazamentos e complicações relacionadas a sangramentos nos locais de punção. Validado por vários estudos internacionais, o procedimento é realizado por mais de três anos em Curitiba, e os resultados têm sido excelentes. “Os pacientes tratados através dessa tecnologia têm apresentado evolução surpreendente, retornando às suas atividades diárias muito rápido e com o mínimo de desconforto possível”, assegura Dr. Miyamotto.
Conforme o cirurgião vascular, a satisfação com o aspecto estético também é um fator a ser levado em consideração, já que uma parte expressiva desses pacientes é do sexo feminino, que se preocupa com essa questão. Infelizmente, o custo envolvido com o uso dessa tecnologia ainda não é totalmente absorvido pelos planos de saúde, porém esse processo está em andamento, pois as vantagens e a redução de outros custos estão colaborando para esse facilitamento.

A evolução da medicina caminha para procedimentos cada vez menos invasivos e de menos mortalidade, oferecendo aos pacientes oportunidades cada vez mais confortáveis para tratar doenças complexas com o mínimo de desconforto. É importante ressaltar que esse tipo de tratamento tem se tornado a opção de escolha nos centros de excelência de países desenvolvidos e também no nosso meio. “Esperamos que essa evolução tecnológica na medicina continue a ponto de podermos prevenir em vez de tratar tardiamente essas doenças de morbidade extremamente alta”, conclui o especialista.

Então, procure melhorar os hábitos de vida e ficar seguro com seu check-up vascular, sempre com um especialista habilitado pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV).

+ Saiba mais