Implantodontia

O cuidado com os dentes na terceira idade

Ter um sorriso bonito e principalmente saudável não é algo importante apenas na juventude

Exclusivo Portal

Com a expectativa de vida cada vez maior é ainda mais comum que ao chegar à terceira idade as pessoas mantenham-se ainda ativas e se dediquem ao cuidado com a saúde e beleza dos dentes já que muitas vezes foram deixados de lado em outros períodos da vida.

Os problemas, no entanto, são diferentes de outras faixas etárias. A falta de cuidados, sintomas ligados a doenças, reação a medicamentos e o uso e manutenção de próteses e implantes exigem não só exigem atenção, mas também a busca por profissionais com experiência no tratamento de idosos.

Doutor Eduardo Gurkewicz, dentista especializado no tratamento de idosos e um dos pioneiros em implantodontia em Curitiba explica alguns desses principais problemas:

Cáries

Devido ao envelhecimento e por vezes a deficiência motora do idoso, fica ainda mais difícil manter o cuidado e higienização adequada com os dentes. Com isso há a ocorrência maior de cáries e problemas nas gengivas que acabam se retraindo e expondo a raiz dos dentes ocasionando, por vezes, maior sensibilidade na região.

Boca Seca (Xerostomia)

Associada ao envelhecimento e ao uso de medicamentos em longo prazo ou devido a tratamentos oncológicos geralmente de cabeça e pescoço, a diminuição da saliva (a chamada boca seca) é tida como uma das queixas mais comuns dos idosos em consultório. O dentista pode indicar procedimentos para estimular a produção de saliva ou o uso de saliva artificial.

Lesões na Mucosa

O uso de próteses mal adaptadas, tabagismo e bebidas alcoólicas e a falta de higienização adequada favorecem o aparecimento de lesões na mucosa como na gengiva, língua, bochechas, assoalho e palato. E importante fazer o auto-exame e procurar o dentista para correção das próteses e/ou avaliar o quadro para o tratamento e prevenção de novas lesões.

Periodontite

A inflamação da gengiva (gengivite) se não tratada pode se estender para os tecidos de suporte do dente ocasionando a perda óssea e amolecimento dos dentes. O quanto antes for descoberta, a doença periodontal deve ser controlada e em alguns casos realizada raspagem e alisamento radicular.

Perda de Dentes – Parcial ou Total

Em casos da perda dentaria parcial ou total, o que se visa não é apenas a substituição de dentes, mas a reabilitação bucal, em todas as suas funções: estética, fonética e mastigação.

Além das cáries, muitas vezes é comum que os idosos sofram quedas ocasionando traumas dentários em que haja perda substancial de parte do dente. Nesses casos o uso de coroas em metal, porcelana e materiais poliméricos visam resgatar a estrutura e funcionalidade do dente recuperando seu aspecto natural.

No caso de dentes perdidos ou ausentes é possível realizar a substituição através de pontes ou próteses removíveis como prótese total (a popular dentadura) ou prótese parcial removível (ponte móvel). Existem  também as próteses modernas produzidas sobre implantes como overdentures, próteses fixas livres de metal (metalfree) e próteses protocolo. Já como opção permanente pode-se optar por implantes dentais ou dentários, posicionados diretamente no lugar do dente através de estruturas de titânio implantadas diretamente na parte óssea.

Apenas o dentista especialista na área de implantodontia poderá avaliar de quais as opções possíveis para cada caso. Fatores como a quantidade e a qualidade do osso, qualidade da gengiva, presença de placa bacteriana, defeitos ósseos e reabsorções, tipo de oclusão (mordida), presença de bruxismo ou apertamento dos dentes, hábitos como tabagismo e alterações no sistema de saúde geral são geralmente itens importantes para a indicação do uso de implantes.

Com o tratamento correto e uso da tecnologia é possível ficar em dia com a saúde bucal e ainda possibilitar a qualidade funcional dos dentes sem traumas.

 

+ Saiba mais