Angiologia / Vascular

O fim das dúvidas sobre como eliminar varicoses

Essas são algumas das dúvidas mais frequentes que muitos pacientes têm diante das diferentes técnicas existentes hoje para eliminar as varicoses. Para ajudar a esclarecer as dúvidas, os cirurgiões vasculares Dr. Márcio Miyamotto e Dra. Cintia Lopes Raymundo mostram nesta edição a importância de se entender como funciona cada técnica no momento de buscar tratamento.

Inicialmente, segundo Dra. Cintia, deve-se ter bem claro o conceito de que as varicoses muitas vezes são originadas por uma veia maior, chamada de veia nutridora. “A veia nutridora nem sempre é fácil de visualizar. Por isso, para identificá-la com precisão realizamos um exame de Ecodoppler, no qual podemos visualizar as safenas e as veias mais profundas, utilizando um aparelho de realidade aumentada (Veinviewer) ou de transiluminação (fleboscópio), para examinar as veias mais superficiais.

Assim, para que a varicose seja eliminada com sucesso temos de tratar também a veia nutridora”, explica a especialista.

Escleroterapia
A técnica mais conhecida para tratar as varicoses é a Escleroterapia com glicose hipertônica. Esse método consiste na injeção do líquido, chamado esclerosante, dentro da varicose, com uma agulha muito fina. Além da glicose hipertônica, existem outros esclerosantes que podem ser utilizados ou associados. “A desvantagem do método é que ele não é eficaz para eliminar as microvarizes e as veias nutridoras, quando utilizado de forma isolada”, alerta Dr. Miyamotto.

Crioescleroterapia
Outro método utilizado é a Crioescleroterapia, em que o líquido esclerosante é resfriado a uma temperatura de até -40 graus em um aparelho específico para esse fim. Dessa forma, além da sua ação esclerosante, o líquido possui uma ação térmica, tornando-se um tratamento mais potente para determinados tipos de veias varicosas.

Espuma
A espuma é outra técnica de esclerosante que, conforme a sua concentração, pode ser utilizada para tratar determinados tipos de microvarizes e varicoses, ou até mesmo varizes calibrosas; nesse caso com o auxílio de um aparelho de ultrassom. O método consiste em realizar uma mistura de uma pequena quantidade de líquido e um pequeno volume de ar, componentes que após serem agitados transformam-se em espuma. “A vantagem desse método é a capacidade de tratar diferentes tipos de veias, muitas vezes evitando uma microcirurgia. Entretanto, deve-se ter alguns cuidados com a concentração adequada para o tamanho da veia, além de cuidados específicos para evitar manchas na pele e outras complicações”, enfatiza a Dra. Cintia.

Laser Transdérmico: avanço para o fim das varicoses
De acordo com Dra. Cintia, o método mais avançado e que vem apresentando resultados muito promissores é o Laser Transdérmico associado à escleroterapia com glicose hipertônica ou até mesmo associado à espuma. Esse procedimento pode ser realizado para microvarizes, veias nutridoras e varicoses de diferentes regiões do corpo, sendo mais utilizado nas pernas e face. “Essa técnica também tem a vantagem de permitir que os pacientes sejam tratados de forma segura e sem a necessidade de internamento hospitalar, evitando assim uma microcirurgia”, salienta a médica.

Porém, para realizar esse método de forma segura, é importante ter uma estrutura adequada com todos os equipamentos necessários e um treinamento apropriado e profissionais qualificados. “Para otimizar o tratamento com o Laser Transdérmico, utilizamos o Veinviewer, que nos auxilia, no momento do procedimento, a identificar as pequenas veias nutridoras, pouco visíveis a olho nu. Além disso, utilizamos também um aparelho resfriador de pele que emite um ar resfriado, diminuindo a dor e protegendo a pele do paciente”, finaliza Dr. Márcio.

É importante ressaltar que todos os métodos são seguros e com baixa chance de complicação, desde que realizados por profissional qualificado e com a técnica correta a cada caso.

+ Saiba mais
'