Warning: file_get_contents(): http:// wrapper is disabled in the server configuration by allow_url_fopen=0 in /home/revcorpore/public_html/wp-content/themes/corpore/single.php on line 23

Warning: file_get_contents(http://graph.facebook.com/?ids=http://revistacorpore.com.br/revista/micro-odontologia-assistida-por-diagnostico-laser/): failed to open stream: no suitable wrapper could be found in /home/revcorpore/public_html/wp-content/themes/corpore/single.php on line 23
Odontologia

Micro-odontologia assistida por diagnóstico a laser

A nova odontologia utiliza tecnologias inovadoras para prevenir, preservar melhor o tecido vivo e recuperar a saúde e a funcionalidade dos dentes

A odontologia evoluiu, definitivamente alcançou um novo patamar em tratamentos preventivos, doenças periodontais, cáries ocultas e infiltrações. Muito mais relevante do que um sorriso bonito, quase perfeito, é estar com os dentes saudáveis, em sua plena função. Por isso, é tão importante um diagnóstico que revele com precisão o real estado da saúde bucal.

De acordo com o cirurgião-dentista Dr. Edson Carlos Nagib, que tem mestrado em Bioengenharia e mais de 20 anos de profissão, os lasers, tanto para diagnóstico, como o de desinfecção, estão revolucionando a já avançada odontologia brasileira. “Associado a outras tecnologias – que vão desde microcâmeras, que amplificam a imagem do dente no computador; microbrocas usadas em baixa rotação, que não agridem os tecidos sadios; ozônio, que também é utilizado para eliminar contaminantes; cimentos ionoméricos, que atuam na remineralização dos dentes, ajudando na sua revitalização – o laser constitui um dos maiores avanços para preservar os dentes saudáveis ao longo do tempo”, destaca Dr. Edson, que atua na clínica Laserdent.

Precisão

Essa é a palavra que define esse novo tratamento dentário, pois a associação de tecnologias o torna mais preciso, identificando o dente com problemas através da medição da fluorescência gerada pelo laser, lido num display de 09 a 99, e quanto maior for o número maior é a contaminação. “Na maioria das vezes, ao tirarmos um raio-x dentário, esse exame não mostrará a atividade bacteriana em estágios iniciais, apenas lesões com maior grau de perda mineral aparecerão. Através do diagnóstico por laser pode-se detectar lesões ainda não visíveis relacionado ao estado de contaminação da dentina, que fica oculta aos olhos, podendo identificar cáries que podem ao longo do tempo levar à dor, ao tratamento de canal e em estágios mais avançados até a perda do dente”, releva o dentista.

A área contaminada é raspada com a microbroca em baixa rotação, que, após a limpeza micromecânica da região, é carbonizada pela energia do laser fototérmico. “Após a descontaminação com o laser ou ozônio, realizamos o término da restauração com resina ou um ionômero de vidro. Cada passo é fotografado e registrado como se os dentes fossem analisados por microscópio, o que garante a precisão e transparência no tratamento”, acrescenta o especialista.

Dr. Edson revela que 90% dos pacientes não usam anestesia em seus tratamentos, e a broca de alta rotação, que traumatiza tantos pacientes, é utilizada apenas para remover restaurações antigas. A administradora Kátia Andriguetto, 36 anos, encontrou nessa proposta tudo o que procurava: “Esse diferencial é muito importante porque tenho pavor de anestesia, e assim fiz algumas restaurações e preservei a saúde dos meus dentes, até daqueles que aparentemente estavam perfeitos”, revela. Até o filho adolescente da paciente já previne a saúde bucal sem medo de ir ao dentista. “Fico tranquila ao saber que ele já está em boas mãos e que terá uma saúde bucal ainda melhor que a da minha geração”, ressalta a administradora.
O professor pedagogo Ciro Ellenberger, 63, também considera o trabalho da Laserdent bastante diferenciado. “Além de preservar e reabilitar nossos dentes com a melhor tecnologia, somos orientados a manter os bons hábitos de vida, que beneficiam não só a saúde dos dentes, mas a saúde geral do organismo. Afinal, tudo está interligado”, enfatiza o professor. “Não sentir dor, durante e após o procedimento, dá até prazer de ir ao consultório”, ressalta.

Nesse sentido, investir em novas tecnologias, aprimorar o conhecimento constantemente, trabalhar de forma interdisciplinar com outras áreas da odontologia é a fórmula de satisfação garantida para os pacientes, de acordo com a equipe clínica.

Preservar os dentes, até a raiz

“Preservar o tecido vivo do dente garante ao paciente saúde e longevidade. Mesmo nos casos em que infelizmente há perdas, a odontologia moderna oferece inúmeras soluções. Porém a prevenção é sempre a chave da saúde geral do paciente”, revela a cirurgiã-dentista Dra. Claudia Cristina Meinicke, especialista em Endodontia na Laserdent.

Basicamente, o tratamento realizado na clínica permite exterminar a contaminação local, evitando a progressão da exposição bacteriana naquele dente cujas lesões mais profundas não teriam sido identificadas de forma convencional. “Essa é a nova odontologia que, através de tecnologia avançada, permite às pessoas terem dentes saudáveis e preservados no futuro”, acentua Dr. Edson Nagib. O dentista revela ainda que quando o paciente apresenta qualquer desconforto, sensibilidade ou sinal de dor durante o procedimento, ele mesmo sinaliza ao profissional, que avalia se o momento necessita de anestesia ou não.

No caso da comerciante Salete Fátima Barcarol, 54, o motivo que a fez buscar a nova tecnologia foi bem mais sério. “Já tinha consultado outros profissionais e nenhum deles quis se comprometer com meu tratamento, pois apresentava falta de estrutura óssea. Aqui consegui reabilitar dez dentes, sem apresentar problema algum e sem sentir dor. Tive uma ótima cicatrização e nenhum sangramento durante o procedimento. Foi maravilhoso!”, salienta a paciente, agradecida.

A técnica baseada em mínimos desgastes dentários possui abordagem muito menos traumática, pois é micromecânica, em que o laser sinaliza o local contaminado e, com a ajuda de imagem aumentada no computador, é possível visualizar a exata extensão da lesão. “Assim tratamos o dente com precisão, preservando os tecidos ao seu redor”, reforça o dentista.

Para o aposentado David Carbente, 59, que há 20 anos é paciente da equipe, a grande vantagem da nova tecnologia é a maior satisfação. “O tratamento para mim foi indolor, de rápida cicatrização. Além disso, é um tratamento que visa à saúde, ao bem-estar e à preservação da nossa autoestima. No meu caso, o novo sorriso me deu autoconfiança; sinto-me renovado!”, comemora.

Entenda a tecnologia do laser para o tratamento sem dor

Laser diagnóstico: O equipamento transforma o sinal sonoro da identificação de fluorescência do laser em números (de 09 a 99), mostrando a contaminação local e, através desses valores, o dentista decide qual o plano de tratamento tendo em vista os resultados dos demais exames. “Ao primeiro sinal é preciso investigar, pois os números mostram os riscos e, aprofundando a área determinada, é comum encontrarmos lesões crônicas que já afetaram até a dentina – um perigo maior à saúde do dente”, alerta o especialista.

Laser fototérmico: É utilizado em uma segunda etapa do tratamento para eliminar as bactérias, evitando que elas se proliferem abaixo da restauração. “Por isso, esse é um procedimento minimamente invasivo, que respeita os tecidos sadios e permite a máxima preservação”, alerta o dentista. Dependendo de cada caso, o profissional faz a restauração do dente com ionômero de vidro ou resina, procurando evitar ao máximo a utilização de metal, que pode afetar à saúde em longo prazo. “Obviamente que, em casos específicos, utilizamos o metal para maior fixação e durabilidade, mas essa possibilidade é avaliada com muito critério”, finaliza Dr. Edson.

Procure saber sempre como está a sua saúde bucal, previna-se e busque o melhor diagnóstico. A odontologia preventiva e minimamente invasiva garantirá sempre a preservação do futuro dos seus dentes!

+ Saiba mais