Blog

Joanne Milne e a emoção ao ouvir pela primeira vez

Implante Coclear, a técnica que possibilitou a britânica a ouvir após 42 anos de surdez realizada também no Paraná

implante-coclear+joanne-milne_abril-2014_

Quem viu, provavelmente se emocionou com o vídeo de Joanne Milne, de 42 anos, uma britânica que ficou famosa na internet, devido a um vídeo em que ela escuta pela primeira vez após a realização de um implante coclear. Sua emoção é contagiante ao ouvir os primeiros sons. No vídeo, ela conta que ouvir a própria voz é “muito estranho”, mas, totalmente incrível.

Em entrevista ao jornal britânico Daily Mail, Joanne disse que ainda está se acostumando aos sons. “Eu ainda estou chocada. Eu tenho que aprender a reconhecer o que são esses sons, porque construí uma biblioteca de sons na minha cabeça. Ouvir as coisas pela primeira vez é muito emocionante, desde o barulho de um interruptor à água corrente”, contou ela.

Ela fez a cirurgia de implante coclear um mês antes da gravação do vídeo e foi sendo ativado em sessões semanais. “Eu sempre fui surda e fazia parte de mim. Infelizmente, quando comecei a ter dificuldades para enxergar, as coisas mudaram dramaticamente e, pela primeira vez na vida, ser surda ficou realmente difícil”, explicou. “Eu estou tão feliz. Nos últimos dois dias ouvi pessoas rindo atrás de mim, fiquei com meus amigos… eles não tiveram que puxar meu braço para chamar minha atenção, o que é um avanço enorme”, disse ela ao Daily Mail.

 

Entenda a cirurgia

O implante coclear, procedimento pelo qual Joanne passou, é a colocação de uma prótese eletrônica, que permite ouvir e se comunicar melhor. Ele é indicado para crianças – a partir de um ano – e adultos com deficiência auditiva sensorial bilateral (dois ouvidos) de grau severo, que não conseguem escutar e entender 40% dos sons, mesmo com o uso de prótese. “O aparelho estimula diretamente as fibras do nervo auditivo e substitui parcialmente as funções da cóclea, transformando os sinais sonoros em sinais elétricos”, explica o Dr. Maurício Buschle, cirurgião otorrinolaringologista e chefe da equipe multidisciplinar de implante coclear do Hospital Iguaçu, que realizou os primeiros implantes cocleares no Paraná, em 2006.

 

#joanne milne – implante coclear

A cirurgia consiste em inserir na parte interna do ouvido um dispositivo eletrônico, composto por um grupo de eletrodos e um aparelho receptor. Por fora, na parte de trás da orelha, fica a parte que processa a fala, com um microfone e bateria. “Cerca de um mês após a cirurgia o aparelho é ligado, pois, este é o tempo de cicatrização do ouvido e integração do aparelho”, explica o especialista.

Cerca de um mês após a cirurgia, quando já há completa cicatrização, fonoaudiólogos fazem o acompanhamento e reabilitação dos pacientes após a cirurgia. Assim como aconteceu no caso de Joanne, é o fonoaudiólogo o responsável pela ativação do equipamento e mapeamento dos eletrodos, além de ajudar o paciente a lidar com os novos sonos e linguagens, ajudando a diferenciar sons naturais, barulhos do dia a dia e fala. Muitas vezes terapias, com psicólogos, também são indicadas para ajudar o paciente a se adaptar a nova realidade.

Serviço: Hospital Iguaçu – www.hospitaliguacu.com.br

Comente

*