Arquivo do Blog do mês Maio/2015

Blog

Zika Virus,Chikungunya e a Dengue

Além dos casos sempre crescentes de dengue em todo o Brasil e de epidemias como a chikungunya , um novo vírus foi encontrado em solo nacional: o Zika Virus

A febre Zika, como é também conhecida, foi identificada por pesquisadores do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia em regiões como Ilhéus e Itabuna e na região metropolitana de Salvador em Abril deste ano e hoje já foram encontrados casos em cerca de 20 cidades baianas, além de diversas regiões do nordeste e provavelmente no sudeste.
Originária da África, nunca havia sido registrada na América do Sul. E por ser transmitida por um velho conhecido nosso, o mosquito Aedes aegypti (e Aedes Albopictus) e trazer alguns sintomas semelhantes ( porém bem menos agressivos), tem causado muitas dúvidas e desinformação na população.

Dengue, Chikungunya e Zika Virus: Sintomas e Prevenção Semelhantes
Mais conhecida pelos brasileiros, a dengue figura entre as epidemias graves que assolam o país, com mais de 360 casos para cada 100mil habitantes registrados até abril. Já a sua prima, a febre chikungunya, até abril registrou 1.688 casos no país sem quadros fatais até então. A Febre Zika, recente no país, já apresentou alguns casos nos últimos meses, geralmente em graus mais leves.
Apesar de sintomas semelhantes e serem transmitidas pelo mosquito , há diferenças importantes entre uma doença e outra principalmente em relação a sua complexidade e gravidade.
A febre chikungunya, até então única doença semelhante a dengue no país, tem como sintomas: febre, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço. A grande diferença está no acometimento das articulações, já que o vírus chikungunya avança nas juntas dos pacientes e causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local, revela o médico.
Já a febre zika “é uma doença parecida com a dengue, inclusive nos sinais e nos sintomas”, de acordo com Jaime Rocha, infectologista especializado em medicina do viajante do Laboratório Frischmann Aisengart. Inicialmente, os casos assemelham-se a uma gripe, apresentando dor de cabeça, dor nas articulações, conjuntivite, dor de garganta, febre leve, irritação da pele, náuseas e dor muscular, com cura espontânea em aproximadamente 5 dias.
Nesses casos os cuidados para evitar a proliferação dos mosquitos e prevenção são as melhores formas de evitar esse tipo de doençam, como o uso de roupas claras e compridas, uso de repelentes sobre a pele, que contenham DEET em concentração adequada para a idade, além da identificação precoce dos sintomas. Segundo o infectologista, “bastam medidas preventivas contra a picada do mosquito já que, apesar da perspectiva para os próximos anos, não há no momento vacina disponível contra a dengue”, diz.
“É muito importante que o paciente faça uma consulta com um especialista se aparecer algum dos sintomas. Dessa forma, será encaminhado aos exames e diagnóstico será feito. Quanto antes a doença for descoberta, maiores são as chances de o tratamento ser bem sucedido”, afirma o especialista.
Serviço: Laboratório Frischmann Aisengart – www.labfa.com.br

Nossa Fanpage

Newsletter